sábado, 9 de dezembro de 2017

As Melhores fotos da Casa da Portela




Um Local Duas Fotos



A Melhor Foto da Capela da Póvoa



"É tudo, e chamamos-lhe o nada; mas nem essa tragédia da negação podemos representar com aplauso, pois nem ao certo sabemos se é nada, vegetais da verdade como da vida, pó que tanto está por dentro como por fora das vidraças, netos do Destino e enteados de Deus, que casou com a Noite Eterna quando ela enviuvou do Caos que nos procriou."
 (Fernando Pessoa in O Livro do Desassossego)



A melhor Foto do Estádio Axa


As Melhores Fotos de Paços de Brandão




"Lembro-me de repente de quando era criança, e via, como hoje não posso ver, a manhã raiar sobre a cidade.  




Ela então não raiava para mim, mas para a vida, porque então eu (não sendo consciente) era a vida.




A criança ficou mas emudeceu.




Vejo como via, mas por detrás dos olhos vejo-me vendo;




E só com isto se me obscurece o sol e o verde das árvores é velho  e as flores murcham antes de aparecidas.




 Sim, outrora eu era de aqui;




Hoje, a cada paisagem, nova para mim que seja, regresso estrangeiro, hóspede e peregrino da sua presentação, forasteiro do que vejo e ouço, velho de mim.




Já vi tudo, ainda o que nunca vi, nem o que nunca verei. 




No meu sangue corre até a menor das paisagens futuras, e a angústia do que terei que ver de novo é uma monotonia antecipada para mim.




Aquelas somas de fatos que, para os homens vulgares, inevitabilizariam o êxito, têm, quando me dizem respeito, um outro resultado qualquer, inesperado e adverso.




Tenho construído em passeio frases perfeitas de que depois me não lembro em casa. 
A poesia inefável dessas frases não sei se será parte do que foram, se parte de não terem nunca sido."
 (Fernando pessoa in O Livro do desassossego)

As Melhores Fotos da Calçada de Riomaior



"Por entre a casaria, em intercalações de luz e sombra — ou antes, de luz e de menos luz —, a manhã desata-se sobre a cidade. Parece que não vem do sol mas da cidade, e que é dos muros e dos telhados que a luz do alto se desprende — não deles fisicamente, mas deles por estarem ali."

(Fernando Pessoa in O Livro do Desassossego)











As Melhores Fotos do Outono



"A minha imagem, tal qual eu a via nos espelhos, anda sempre ao colo da minha alma.




  Eu não podia ser senão curvo e débil como sou, mesmo nos meus pensamentos.





 Tudo em mim é de um príncipe de cromo colado no álbum velho de uma criancinha que morreu sempre há muito tempo.




 Amar-me é ter pena de mim.




Um dia, lá para o fim do futuro, alguém escreverá sobre mim um poema, e talvez só então eu comece a reinar no meu Reino.




 Deus é o existirmos e isto não ser tudo.




 Um frio desassossegado põe mãos gélidas em torno ao meu pobre coração.




Em cada pingo de chuva a minha vida falhada chora na natureza. Há qualquer coisa do meu desassossego no gota a gota, na bátega a bátega com que a tristeza do dia se destorna inutilmente por sobre a terra."

"Fernando Pessoa in O Livro do Desassossego"